Um dos maiores problemas na criação de filhos é com respeito a correção dos mesmos. Eu tenho visto que a grande polêmica no assunto tem sido causada ou por não entendermos o real significado da palavra ou por não sabermos como aplicá-la.
Geralmente, daremos a nossos filhos o que recebemos e, em muitos casos, temos recebido uma educação longe de ser chamada: cristã. Outros, não gostando do que receberam quando crianças, vão ao outro extremo, tornando-se permissivos até não aguentarem mais, e então fazem exatamente o que não queriam: “explodem!”.

Quando não entendemos correção: não sabemos por onde começar nem para onde ir com ela.
Quando não sabemos como aplicá-la: a ignoramos ou acabamos por exagerar, tornando-nos violentos.

Amor à correção. Ensine-os a amar a correção.

De vez em quando eu pergunto em voz alta de surpresa: Quem ama a correção?
E toda a família grita: Eeeeeeeu!!”

A forma como você aplica determinará se sua correção é apreciável ou detestável.

Correção não é simplesmente varinha no bumbum nem comentários humilhantes no ouvido do adolescente mas a correção verdadeira acontece primeiramente no coração.

Muitos pais se contentam em descontar suas frustrações e ira em seus filhos causando violências inaceitáveis.

Lembre-se do que você faz com o carro que está sem alinhamento: Você simplesmente corrige. Ou seja, corrigir é trazer de volta ao caminho. Se você nunca tomou o tempo de ensinar o caminho que deve seguir (Pv 22:6), você o trará de volta para onde? Correção não tem nada que ver com ira, gritaria, cara feia, palavrão ou violência.

A função da correção é simples: Corrigir.

E se a correção é algo bom, então ambos, pai e filho estarão satisfeitos com o resultado. Se seu filho ficou esperniando, choramingando, humilhado, raivoso ou resmungando por trás de ti, então não foi correção. Não foi correção pelo simples fato de que não corrigiu. Somente irou ou humilhou.

O resultado da correção, deve sempre ir mais além de um comportamento “aceitável”. A correção muda o coração, logo o comportamento. E ambos, pai e filho saem do banheiro (depois da ‘conversa’) de mãos dadas e filho com sorriso no rosto e coração alegre.

“Toda correção produz fruto de paz e justiça”. Hb 12

Mudar minha mentalidade e atitude é fundamental para ser um pai/mãe bem sucedido.

• Quais são as coisas que tem “tiram do sério”?
• Você tem corrigido seus filhos com sucesso? ( Eles amam a correção? )
• Seus filhos tem caminhado no caminho que você ensinou?

 

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *