problemas casais - problemas com filhos

Não aguento mais!!! Porque casamento e filhos são tão difíceis…

Há horas em que perdemos a paciência. Não sabemos se é o tempo, os problemas externos, as preocupações da vida, o estresse do trabalho, os filhos que se queixam, o relacionamento conjugal insatisfatório, o sono atrasado, os hormônios ou o diabo. Talvez todas elas sejam o problema!

Há momentos em que sentimos que vamos explodir porque não aguentamos mais. Ou na verdade, nos dá vontade de explodir alguém…como se essa fosse a solução de todos os nossos problemas.

No entanto, há uma natureza dentro de nós que é difícil de se agradar. Pensamos que somos mais tranquilos e fáceis de se relacionar do que qualquer outra pessoa que conhecemos. Isto é, até que nossas vontades não sejam feitas…

Às vezes, penso: Por que Deus fez o relacionamento familiar e conjugal tão desafiante? Por que dói tanto? Parece que Deus fez para não dar certo mesmo…

Nós sabemos que não existe resposta simples para algo tão complexo. Se fosse fácil, o mundo não estaria como está hoje. Para nós, servindo por quase 20 anos, vemos claramente em três países de culturas totalmente diferentes, o quão universal são os desafios familiares. Como dizem: “Só muda de endereço.”

No entanto, neste texto, gostaria de compartilhar com você, uma “pequena pérola” que o Senhor nos tem dado, e tem mudado tudo em nosso lar. Neste texto um pequeno resumo sobre: Perspectivas a Expectativas.

INSPIRAÇÃO DO DIA

Todos os mandamentos que hoje vos ordeno guardareis para os cumprir; para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR jurou a vossos pais.

E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não.

E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem.

Nunca se envelheceu a tua roupa sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos.

Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor teu Deus.

E guarda os mandamentos do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos e para o temeres.

Porque o Senhor teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas;
Deuteronômio 8:1-7

No contexto desta passagem, o povo de Deus está a caminho da Terra Prometida. Uma terra de muita bênção e prosperidade. Deus os está levando a um novo tempo, a formar uma nova nação. Uma nação que será reconhecida por ser grande, sábia, entendida e justa. Uma nação única, cujo Deus é o Senhor. Um Deus que é chegado a eles, um Deus íntimo, diferente de qualquer outros deuses (ídolos).  (Dt 4)

Primeiro  ponto: A ideia, de bênção sem medida sobre esse povo, foi de Deus.
Deus queria o melhor para eles. Parte do seu plano, era levá-los a uma nova terra para que formassem uma nação que pertencia a Deus somente.

Segundo ponto: Para se criar uma nova nação, com leis e preceitos novos, era necessário deixar as ideias antigas para viver as novas. Pois não há como colocar remendo novo em roupa velha. Um novo modo de viver, baixo novos conceitos e ideias é o que cria uma nova cultura. Não se poderia criar uma nova nação com uma cultura igual a do Egito. Ou mesmo, uma cultura de escravo (do Egito).

Para não estender demasiado este estudo, vamos nos focar somente no  versículo 2 e seu contexto.

• Deus os guiou ao deserto por 40 anos para: humilhar, provar e saber o que havia no coração deles. Como assim?

Quando a coisa aperta, o verdadeiro eu se expressa livremente. A pergunta aqui  é: Qual o “eu” que está sendo manifestado? O “novo eu” ou o “antigo eu”.

No restante do texto, Deus fala de como cuidou deles o tempo inteiro. Nunca lhes faltou nada. Ou seja, somente estavam sendo provados.

Para que? Afinal, Deus não sabe o que temos dentro?

Claro que sim. Nós não!

Quando temos muitos dias bons, é a tendência do ser humano achar que as coisas não são tão difíceis e seu coração acaba por se orgulhar e até julgar a outros por não conseguirem fazer algo “tão simples”. Nos enchemos de ânimo e temos dicas para o mundo inteiro: É só você fazer isso!

Então, basta uns dias de aperto, para toda nossa humanidade sair e vermos claramente quem somos. E então, o silêncio predomina e não entendemos porque nada dá certo mais…

Infelizmente, quando isso acontece, algumas pessoas se desanimam por completo e até jogam a toalha. Em seu coração “voltam para o Egito” (At 7:39), ou simplesmente voltam por completo. Você não conhece gente assim?

No entanto, quando a coisa aperta, o caminho que devemos fazer é:

Correr para Cristo levando toda nossa condição de pecador orgulhoso e independente de Deus.

Não procurar “remendo em roupa velha” mas sim, buscar um novo coração!

Ao nos humilhar diante Dele e nos permitir moldar nas mãos do oleiro, somos transformados. Ao perseverarmos em nos submeter ao tratar de Deus conosco e caminhar humildemente diante do nosso Pai, somos forjados.

Dói, é claro que dói!

Afinal, o “nosso eu” está morrendo para que se forme um “novo eu”. Este é o trabalho da santificação.

O belo disso é que quem faz esta obra é Ele mesmo. Nós não podemos nos mudar, mesmo que nos esforcemos. A obra que Ele começou, Ele a terminará (Fp 1:6).

Assim, se você se sente incapaz, parabéns! 

Talvez você esteja pronto para se prostrar diante de Jesus em seu tempo de quietude. Sem eletrônicos, sem ruídos, sem distrações…Pois é na Presença que você encontrará forças para cada dia, e é com seus olhos fitos Nele, que você encontrará uma nova perspectiva e propósito de: Não ter como alvo a que seguir a tranquilidade de ter as coisas do “meu jeito”.

Mas quando meu alvo se torna ser mais como Cristo, ao ser forjado no meu caminhar com Jesus, encontro aquilo que desejava o meu coração e muito mais além:

Uma paz que ultrapassa o entendimento humano e independe das circunstâncias da vida,

Uma alegria e satisfação que não pode ser roubada por nada deste mundo,

Quando minha perspectiva é mais alta e além do que vêem meus olhos, minhas expectativas mudam também. Em vez de querer mudar a todos ao meu redor, anseio ser feito cada vez mais como meu amado Jesus.

Quando entendermos isso, entenderemos porque os apóstolos não abriram mão de Cristo por nenhuma tribulação que passaram nesta terra. Tribulações que nos fazem sentir vergonha quando comparamos com as coisas que nos desanimam.

Tendo uma perspectiva muito mais alta, um dos apóstolos escreve:

Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações,
sabendo que a provação da vossa fé produz a perseverança;
e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma.
Tiago 1:2-4

“Senhor, me ajude a colocar meus olhos e desejos em Cristo e nas coisas do alto, não nas coisas terrenais. Me ensine a ter uma perspectiva diferente da vida, como tinham os apóstolos. Pois as coisas terrenais passam, mas as que são do alto permanecem para sempre.”

Você gostou deste estudo?
Comente, compartilhe sua história, responda a este email que retornaremos um por um! Se puder, estenda a sua mão para ajudar-nos a alcançar povos que nunca ouviram da esperança que temos em Jesus Cristo. Realmente NUNCA ouviram! isto significa que, poderiam viver toda uma vida sem experimentar o amor de Deus e ir a uma eternidade sem Jesus. Invista em missões mundiais e veja a bênção do Senhor.

Como você pode nos apoiar?
Você pode ofertar neste ministério ou tornar-se membro da Família Academy com o valor desejado. Assim, você investe em seu lar com ensinos bíblicos e práticos para reconquistar o coração dos seus filhos e com isso, investe também em missões onde apenas 1% da população conhece a Cristo. Clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *