Estabelecendo o Reino de pai para filhos

Vemos em Gênesis que o desenho de Deus foi governar através do homem. A família é a forma mais básica de governo. Observando nossa sociedade, vemos todo tipo de aberração social causada por indivíduos desequilibrados e claramente sem nenhum tipo de formação moral. Aliás, a moralidade tem sido redefinida ao longo dos anos.

Educação e princípios morais partem de casa, o lugar primário de governo, pois sendo a família estabelecida em retidão e justiça, logo formaremos uma sociedade diferenciada. Isto é transformação!

Vivemos tempos em que pedimos e clamamos por um avivamento sobrenatural onde corações se voltem a Cristo, contudo, se os corações dos pais não se voltarem para seus filhos para os educarem, disciplinarem e formarem segundo a prescrição de Deus e sua Palavra, a próxima geração estará novamente estirada no chão clamando por um novo derramar do Espírito. Esta tem claramente sido a história de vários países.

Se famílias em nossas igrejas não podem governar suas próprias casas de forma que glorifiquem a Deus, o que faremos com uma posição de governo em nossa nação? O que poderemos estabelecer nacionalmente se não podemos estabelecer muita coisa localmente, ou em nossos lares?

Devemos como famílias cristãs e igrejas, voltarmos aos princípios básicos de pais discipulando seus próprios filhos a serem luz. Não como luzes individuais somente, mas que nossas famílias sejam luzes dentro e fora de casa. Para que, quando visitas cheguem à sua casa sejam impactadas e influenciadas pela atmosfera de paz do seu lar; Que sua família impacte brilhando a luz de Cristo quando estiverem em um restaurante, numa loja ou supermercado. Nós constantemente ensinamos nossos filhos que são pregadores – sem palavras. Suas atitudes sempre falarão mais alto que suas próprias palavras.

Que nós pais sejamos verdadeiramente não ociosos mas proativos em formar o caráter de nossos filhos com a ajuda do Espírito de Deus desde os primeiros anos de vida; Não “caindo” em ideias comuns e padrões normalmente aceitos pelo mundo. A rebeldia, falta de respeito, a não submissão a qualquer tipo de autoridade, a indisciplina, falta de controle, as palavras maldosas, e tantas outras coisas que modernamente foram aceitas como “fases”, provou-se por si mesma em sua devida geração de que a fase não passou. Porque o que o mundo chama de fase, a Bíblia chama de pecado e, o pecado não passa, somente fica mais “refinado” conforme o indivíduo chega a fase adulta. Isto significa que, a raíz por trás das atitudes continua ali, arraigada no coração. A falta de educação é, como a própria palavra diz: falta de educação. E educação deve vir de casa, não adianta tentar terceirizar.

Davi foi um conquistador e logo seu filho Salomão teve paz em seu reino e pôde edificar grandes coisas. Se lutamos diligentemente e conquistamos terreno derrubando gigantes, nossos filhos terão paz para ir mais longe e edificar mais do que pudéssemos fazer em toda a nossa vida.

Hoje leio muito diariamente pela necessidade de informar-me e continuar estudando e aprendendo. Lutei muito para conquistar este “monte da leitura” pois sempre foi um desafio para mim como para muitos em nossa cultura. Mas graças a Deus, neste monte que com muito esforço conquistei, meus filhos hoje crescem neste ambiente e para eles é algo muito natural e prazeiroso. Desta forma me orgulho de ver meus filhos apaixonados pela leitura e neste exato momento, Joshua com 10 anos tem lido mais de 1.000 livros (pequenos, médios, grandes de até 900 páginas. De histórias infantis, de ciência, arqueologia, missionários, biografias, ficções, história,.. ufa!) além de estar agora lendo sua Bíblia pela quinta vez, e assim cresce formado pela Palavra de Deus, isto é, seus princípios e padrões morais serão desde pouca idade segundo a justiça que vem de Deus e seu conhecimento, será muito mais profundo e vasto indo muito mais além no que poderá edificar no Reino.

Estabelecimento da justiça de Deus, é feito em casa. Apenas algumas horas por semana na igreja fará muito pouco impacto em nossos filhos que passam dezenas de horas nas escolas humanistas, dezenas de horas diante da TV vazia de padrões morais e muitas horas matando monstros nos vídeo games. Não quero com isto desmerecer nossos profissionais nem igrejas ou lazer, pois nossos próprios filhos participam de algumas delas. Reconheço que foram criadas com a intenção de apoiarem, mas nós as temos confiado como primárias e alegremente entregamos nossas responsabilidades e deveres como pais e o resultado – não é segredo para ninguém.

Naturalmente, não podemos dar o que não temos e automaticamente damos o que temos recebido. Com o crescimento explosivo do Evangelho na América Latina nas últimas décadas, temos milhões de convertidos que não vieram de lares cristãos. É uma tremenda oportunidade e privilégio que temos de construir um novo legado em nossos lares!
Contudo, sem uma verdadeira ‘metanóia’ ou mudança de mentalidade, continuaremos crescendo na fé e cantando louvores mas a educação dos filhos estará muito parecida com a que foi recebida em um lar sem Cristo, com a diferença de frequentar a escolinha dominical e conhecer algumas histórias bíblicas. Uma vez mais, isto não é uma crítica ao programa infantil da igreja que, com muito esforço tem sido de grande bênção para muitos. Mas sim, um chamado aos pais despertarem e entenderem que diante de Deus, jamais poderemos colocar culpa em qualquer programa ou instituição pelos eventuais maus caminhos que nossos filhos possam tomar. Tais coisas foram criadas para serem um apoio, não a educação primária. Qualquer igreja, escola ou instituição afirma que educação vem especialmente de casa.

Termino com Deuteronômio 6:
4 Ouça, ó Israel: O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor.
5 Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças.
6 Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração.
7 Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar.

Nos Estados Unidos, o líder atual da nação, Presidente Obama uma vez com ousadia disse publicamente: “O que quer que um dia tenhamos sido, já não somos mais uma nação cristã. Somos uma nação muçulmana, uma nação judaica, uma nação budista. E uma nação de ateus.”

Há apenas algumas décadas atrás, este evento e declaração seria impensável. Mas o dia chegou e muitos pesquisadores cristãos concluem que se o quadro não mudar rapidamente, em poucos anos se perderá totalmente o que foi construído pelos colonizadores cristãos. Exemplos estão desde a Inglaterra até vários países europeus. Graças a Deus, há milhares de famílias distribuídas por toda aquela grande nação que por gerações continuam acreditando e aplicando o desenho original de Deus para a família. De geração em geração tem passado o bastão da fé de forma diligente e eficaz e ainda hoje, estão inseridos em posições de influência naquele país. Temos tido o privilégio de conhecer a muitos e ter aprendido e sidos inspirados pelos mesmos. Aprendamos nós como viver corretamente hoje, com o erro dos outros de ontem, para que não tenhamos a mesma história amanhã.

“Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, que em seus mandamentos tem grande prazer. A sua descendência será poderosa na terra; a geração dos justos será abençoada. Prosperidade e riquezas há na sua casa, e a sua retidão permanece para sempre.” Salmos 112